Capacete inteligente aumenta capacidade dos caças brasileiros

em 22/12/2017

Quando os pilotos da Força Aérea Brasileira decolam para os combates simulados contra caças F-18, da Marinha dos Estados Unidos, durante o exercício UNITAS, o sucesso da missão pode estar literalmente na cabeça deles. Isso porque a versão modernizada no Brasil do caça F-5E, designada F-5EM, conta com capacetes inteligentes. O equipamento permite que os pilotos mirem em seus alvos apenas com o movimento da cabeça.

“No combate visual contra o F-18, nós conseguimos, algumas vezes, obter vantagem e até mesmo ganhar a disputa”, conta o Tenente-Coronel Ricardo Guerra Rezende, comandante do Esquadrão Pampa (1°/14° GAV). “A integração com o míssil de quarta geração, o Python 4, consegue aumentar as capacidades da aeronave, mesmo tendo uma inferioridade em termos de performance”, completa o Tenente-Coronel Rubens Gonçalves, comandante do 1° Grupo de Aviação de Caça.

Enquanto no passado os pilotos de caça precisavam se posicionar atrás dos seus adversários para efetuarem os disparos, hoje, os mísseis modernos podem ser disparados até contra alvos situados no setor traseiro do avião. No caso do exercício UNITAS, os F-5EM da FAB utilizam a versão de treinamento do míssil Python 4, capaz de ir em busca de alvos em um ângulo de 90 graus do caça.

Os modelos de treinamento têm peso semelhante e contam com o sistema de busca, mas não têm explosivo nem o motor-foguete. Na versão real, quando é lançado, o míssil acelera e faz uma brusca curva para perseguir a aeronave oponente.

Além de ajudar a mirar nos alvos, o capacete utilizado pelos pilotos brasileiros também serve como um visor, no qual informações de voo, como velocidade e altura, são projetadas diretamente sobre o olho esquerdo. O resultado é poder ter controle do voo sem precisar olhar para dentro da cabine.

Cabo Feitosa/Agência Força Aérea O Tenente-Coronel Rezende ressalta ainda outros sistemas atualizados, como o radar e o RWR, este último, capaz de alertar ao piloto quando seu avião está sendo iluminado pelo radar de outras aeronaves ou unidades de solo. “A gente tem condições de, em um exercício como esse, conseguir sustentar um combate, mesmo que de forma defensiva, contra um oponente com maior força e com maior tecnologia”, explica.

Fonte: FAB

 

 

Depoimentos

Saiba o que nossos alunos pensam sobre nós e nossos cases de sucesso

  • Depoimento Eliana Amaral

    Eu Eliane do Amaral, mãe de ex aluna do Azambuja. Hoje fazendo faculdade da UFRGS Quando fez azambuja foi uma da 1° alunas com 100% do curso. Assim passando no Colegio Militar de PoA em 3° lugar das 45 vagas da época. Hoje arrasando em ciencia da computaçao em eu 3° ano de facul. E fazendo estagio numa das melhores empresa do ramo a Sap. Muito obrigada a todos Azambuja. Obs. Esperem pelo mano dela Victor Lourenço do Amaral Menger, daqui a 3 anos entra.

    - Eliana Amaral

  • Depoimento Carlos Eugênio Munhoz

    Não tenho que reclamar. Pra mim foi o melhor curso que a minha filha fez. Todo o aprendizado que teve foi excelente, sendo de grande utilidade até mesmo na escola não apenas para o concurso. Eu recomendo este curso. 100% de conhecimento e aprendizado.

    - Carlos Eugênio Munhoz

  • Depoimento Aryela Adiers Françoes

    Bom, o que falar desse curso maravilhoso, o qual me fez conhecer pessoas maravilhosas, ter monitores maravilhosos, salas sempre agradáveis, uma maravilhosa equipe e professores de super qualidade. A família que eu formei aqui, eu vou levar pra vida toda, obrigada por tudo Cursos Azambuja, por me proporcionar tudo isso é ainda pelo meu crescimento tanto intelectual, como um crescimento pra vida

    - Aryela Adiers Françoes

  • Depoimento Heloísa Toledo

    Tenho muito a agradecer ao curso, pois me acolheram no momento em que eu mais precisei. Amei cada momento de aula, os melhores professores que já tive! E de forma uma geral, só tenho gratidão pelo ano de estudos e pela novo rumo de vida que consegui construir... obrigada, Azambuja!

    - Heloísa Toledo

  • Depoimento Camila - Mãe do João Vitor

    “Bom dia... sou a Camila, mãe do João Vitor Arbo que faz o curso nas segundas e quartas. Nunca pensei que uma camiseta teria tanto valor, agradeço a todos os responsáveis por todo esse cuidado e valorização dos nossos meninos... o mérito é dele, mas nada seria possível se não tivéssemos juntos nesta caminhada. É uma pequena conquista perto de tudo o que ainda temos para caminhar, mas é a certeza que estamos na direção certa. Fica aqui meus parabéns por esse ato onde valoriza todo o esforço e dedicação que estamos desempenhando neste momento. Obrigada!”

    - Camila - Mãe do João Vitor

  • Depoimento Paula Rocha

    Foi a vez da Paula Rocha falar como foi sua experiência no Curso. O Curso Azambuja foi essencial para tornar 2014 um ano tão importante para mim. Graças a ele, realizei meu sonho de passar no Colégio Tiradentes.Todos os dias eu estudava pensando nesse esforço sendo recompensado no final do ano. E foi. Desde o primeiro dia,os professores se dedicam a garantir que ninguém fique com dúvida e dão várias dicas para os alunos compreenderem melhor a matéria.Eles não nos preparam apenas para uma prova de concurso,mas também para sermos vencedores na vida e cidadãos melhores.

    - Paula Rocha

  • Depoimento Camila Ehrenbrink Scheid

    Neste ano, eu me esforcei muito, e todo este esforço valeu a pena. Eu decidi fazer o Azambuja e garanto que foi uma das melhores escolhas que fiz na minha vida. Primeiramente, os professores eram ótimos, ensinavam as coisas com toda vontade e otimismo possível, do melhor jeito que conseguiam encontrar. Eu amava todas aulas, sempre eram ótimas e o modo como a matéria era explicada era ótimo. Após o curso, sempre que eu chegava em casa era só estudar. Apostilas, que tinham ótimos exercícios, cadernos, questões das provas dos Colégios Militares e do Colégio Tiradentes. Eu geralmente também ficava na sala de estudos do curso, pegando provas e questões que eram encontradas nas pastas. Essa sala era ótima pois conseguíamos explicar a matéria para os outros e, quando precisávamos, sempre nos ajudavam. Ainda havia os simulados, que ajudaram a perder o nervosismo na hora da prova e que foram um grande incentivo ao estudo. Também foi possível fazer vários amigos, que sei que continuarão até o fim comigo. Eu estudei muito e me dediquei bastante em casa, no curso, no ônibus... e garanto que tudo isso me levou aonde eu cheguei. Camila Ehrenbrink Scheid

    - Camila Ehrenbrink Scheid

Blog de Notícias